terça-feira, 8 de junho de 2021

Disenteria Mediunica

 

Disenteria Mediúnica

 

Um dos efeitos da mediunidade é provocar um estado alterado de consciência.

Quando atendo com tarô, búzios, leitura de mãos ou outro oráculo, sempre fico mediunizado por intuição e recebo inspiração de diversos mentores.

Adicionalmente, por acrescimento de misericórdia, sou assistido pela Falange dos Pretos Velhos.





Pai João de Angola é o mentor que me assiste mais de perto, acompanhado de Pai José, Irmã Lola, Irmã Miquelina e Mãe Zefina.

Uma das minhas primeiras tarefas no atendimento é o alívio da ansiedade.

Tenho permissão da espiritualidade para cobrar meu trabalho fruto do meu estudo e experiência.

Mas não posso cobrar pela mediunidade.

Os mentores agem por sua vez no consulente durante o meu atendimento.

Em geral eles vão até o consulente e aplicam passes magnéticos e limpeza, fortalecimento e harmonização, em nome de Deus.

Assim quando o consulente desliga está se sentindo bem melhor.

Quando o consulente está com muita energia negativa, os mentores dirigem esta energia para mim, pois eu aprendi com o passar dos anos a dissolver esta carga.

Frequentemente isso atua sobre o meu sistema nervoso e consequentemente sobre o meu sistema digestivo.

Tenho uma disenteria instantânea, liquida e imediata, e sem nenhum controle.

Em poucos segundos meu organismo expulsa a carga de energias negativas junto com fezes liquidas que as vezes por falta de agilidade e velocidade minha de chegar ao vaso sanitário, descem de perna abaixo, fazendo eu ter que interromper o meu atendimento.

“ O estado emocional pode interferir no funcionamento do intestino.

O Programa Bem-Estar da Globo desta quarta (25) falou da relação entre o intestino e o cérebro.
Ansiedade e estresse podem provocar disenteria, constipação e até úlcera gástrica.

Você já teve prisão de ventre ou diarreia quando estava estressado ou nervoso? Isso acontece porque o intestino tem seu próprio sistema nervoso, que está ligado ao cérebro através de ramificações.

Por isso, quando a pessoa sente alguma emoção forte, ela pode ter problemas no funcionamento intestinal, como diarreia, constipação, gases, síndrome do intestino irritável, dor abdominal ou até mesmo úlcera, como explicou o cirurgião do aparelho digestivo Fábio Atui no Programa Bem-Estar desta quarta-feira na Globo

Isso acontece também porque, quando a pessoa se estressa, há uma diminuição do fluxo sanguíneo em órgãos vitais do corpo, inclusive o intestino, como mostrou o gastroenterologista Marcelo Borba. De acordo com o psiquiatra Daniel Barros, há evidências que mostram que substâncias inflamatórias provocadas por bactérias no organismo podem penetrar no intestino e favorecer até mesmo o surgimento da depressão. E quem sofre desse problema e costuma tomar antidepressivo também pode ter algum efeito na digestão já que esses medicamentos aumentam a produção de serotonina – hormônio do bem-estar -, o que pode dar efeitos colaterais no intestino, como diarreia, por exemplo.


























No entanto, tudo isso depende da sensibilidade de cada um – diante de situações difíceis, alguns podem ter o intestino preso, outros podem ter o intestino solto.

Por exemplo, no caso das mulheres, é muito comum o intestino travar durante viagens, por exemplo, ou quando elas estão de mau humor. Para evitar tudo isso, é importante manter a flora intestinal equilibrada entre bactérias boas e ruins, com a ingestão adequada de água e fibras, além da prática regular de atividade física, como alertou o gastroenterologista Jaime Zaladek Gil.

Esse desequilíbrio da flora intestinal pode ser causado pelo uso de antibióticos ou por uma alimentação contaminada. Nesse caso, as bactérias ruins podem se sobressair, causando infecções que levam a problemas como gases, distensão abdominal, diarreia, prisão de ventre e até febre. Em alguns casos, essas bactérias podem até sair do intestino e chegar ao sangue, causando a chamada colite pseudomembranosa.


Quando há esse desequilíbrio, geralmente o corpo demora de 7 a 10 dias para se recuperar e voltar ao número ideal de microrganismos no trato intestinal. O cirurgião do aparelho digestivo alerta ainda que, no caso de diarreia, é melhor evitar a ingestão de leite e derivados do leite.

Para ajudar a manter a flora intestinal equilibrada, a dica é ingerir alimentos probióticos, que têm bactérias boas que fazem bem para o organismo e ajudam no sistema imunológico. Porém, como explicou o cirurgião do aparelho digestivo Fábio Atui, para ser considerado probiótico, o alimento tem que ter bactérias que resistam ao processo de digestão e cheguem vivas ao intestino, onde vão atuar de maneira positiva. Por isso, é importante olhar sempre o rótulo, principalmente dos iogurtes, para ver se são mesmo probióticos.

Existem ainda os prebióticos, que são alguns tipos de fibras que servem de alimento para os probióticos no trato intestinal, induzindo o crescimento das bactérias boas. Eles podem ser consumidos em forma de cápsulas ou através de alimentos como chicória, batata yacon, cebola ou alho, por exemplo.

Por último, o cirurgião falou sobre os simbióticos, que são produtos que combinam os probióticos e prebióticos. No entanto, nesse caso, eles não são adquiridos através de alimentos, mas em sachês e cápsulas, indicados para quem tem alterações no trato gastrointestinal ou também na prevenção de câncer no intestino. A recomendação para quem quer ingerir os simbióticos é sempre procurar a orientação de um nutricionista antes. ” Fonte: Programa Bem-Estar da Globo.

Muitas vezes o consulente fica preocupado com o que aconteceu.

Quando posso, retomo o atendimento e explico o que aconteceu.

Estou me tratando com médicos e terapeutas para aliviar este efeito.

Marcadores: , ,

0 Comentários:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. O mesmo será publicado após a moderação.

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial